segunda-feira, 16 de março de 2009

Genitora Néon!

















Ele olha ao fundo daquela rua e suspira seus únicos 18 anos que ainda resta.

Jovelin’e quer perder sua ingenuidade e virgindade como em uma tragada cancerígena e raquítica.

Lembra do que seus amigos que morreram de aids logo aos 10 anos de idade no orfanato da irmã alcoólatra Maria.

Jovelin’e acende mais um cigarro, vendo e espiando aquela luz vermelha que nunca se cessa 24 horas por dia em néon.

Jovelin’e caminha sendo um jovem, caminha ao fundo daquela estreita rua e ouve apenas seus sapatos lamberem as pedras antigas daquela cidade que por várias vezes esconde teus segredos pela mármore.

Chegando a casa de madame Sofia, uma senhora lasciva o examina como um garrote que irá ao abatedouro pela primeira vez e pensa entre os dentes amarelados de manteiga peniana: O que faz um garoto tão belo e polidamente correto aqui?O que quer com estas mulheres tão cheias de dores e doenças? Logo não conseguindo controlar sua curiosidade roer teus ossos do quadril pergunta: O que quer meu jovem? Qual mulher desejas para ser sua?




Jovelin’e engole a saliva seca e cheia de espinhos respondendo – Quero apenas diversão, não é o que todos querem?



A obesa de 488 kilos de pecados cometidos responde – Sim, e presumo que é o que você desejas há muito tempo em seus sonhos de adolescente, não é?



Jovelin’e sussurra logo que sim!



A obesa de 285 centímetros² goza em palavras sorrindo que há somente uma mulher na casa que podes satisfazer teus intrépidos desejos, e, nisto Jovelin’e acende três cigarros fumando-os ao mesmo tempo sem parar para regurgitar seus odores.

Jovelin’e pensa que é a única oportunidade que resta em satisfazer seu ego de malabarista adolescente em fim de carreira com dores no fígado e responde: sim, serve ela mesma para o serviço!



Ela( Valeriana ) logo entende que a obesa confessa com seus olhos cegos que é ela que deve fazer com que o garoto perca a virgindade de uma vez só, e caminha chamando-o com um sinal com a mão para um dos recintos íntimos da casa, que logo abriga-os como o ato sexual.

Jovelin’e entende tudo com seu corpo e logo caminha com seus ossos ao quarto semi-escuro do recinto, a obesa examina suas nádegas como se tivesse examinando um carro 0 km.

Jovelin’e senta, e apenas em um segundo entende que perderá a única parte física que teima em perder desde os seus 15 anos com as freiras leprosas do convento vizinho de São Ápice do Orifício.



Ela( Valeriana ) pergunta: tens experiência meu jovem?

Jovelin’e responde como de frente a um computador que: Não, nenhuma!

Ela( Valeriana ) fala: Tudo bem, não será a minha primeira vez hoje, pois veio 45 marinheiros do ártico hoje e fiz baratinho o preço para eles, morreriam depois de uma hora em um naufrágio mesmo...

Jovelin’e grita: Cala a boca sua vaca! Eu pago o que quiser de você, só quero teu serviço e nada mais.

Ela( Valeriana ) pensa calada: tudo bem, estou acostumada com isso.



E logo se inicia o ato composto de se despirem, se tocarem, penetrarem, afagarem, suspirar com o movimento sexual incasual, tocarem com luvas hipodérmicas e translúcidas e logo ela (Valeriana ) descobre o gozo sem proteção craniana alguma em sua genitália cansada e feita para isso: o gozo de seu parceiro liquido.

Jovelin’e enfim solta um gemido guardado como um garfo novo para o natal que se esperava há exatos 18 anos, completos hoje, e ... depois de um tempo diz: Sabia que meu aniversário é hoje?

Ela( Valeriana ) apenas responde que não tem o direito de falar se ele não permitir.

Jovelin’e afirma com um sinal positivo com a cabeça, sabendo que ela é que teria o controle de sufoca-lo entre teu corpo.

Ela( Valeriana ) pensa com seus botões dizendo: Nossa, também hoje seria aniversário de alguém que não existe mais...

Jovelin’e logo não entende nada, e pergunta: qual o teu nome meretriz?

Ela( Valeriana ) responde: Valeriana...

Jovelin’e se impacienta e pergunta novamente: Qual o teu nome verdadeiro?

Ela( Valeriana ) responde: Não posso falar, mais se me prometer devolver minha saliva quem sabe?

Jovelin’e diz que devolverá depois de seca e Valeriana concorda com algum sinal corporal que não pude identificar, mais Jovelin’e entende, perfeitamente afastando teus ossos, e então Valeriana sussurra: Tereza Andréa Valeria Portanhais.

Jovelin’e embrulha tuas mãos sobre o lençol desgastado pelos movimentos corporais de corpos mortos, secos e densos e sussurra: é este o nome da mulher que me deixou no orfanato da irmã alcoólatra Maria, então você é a mulher que me pos no mundo, logo tira seu corpo nu debaixo dela e abraça dizendo com lagrimas entre os olhos agora cegos e a chama de mãe...

13 comentários:

*K-rol* disse...

oie!

soh passando pra me atualizar com o seu blog...!

fikei um tempo sem net e jah viu, to sem saber de nada que se passa!

ate breve!

beijos!

*K-rol* disse...

sobre o texto, agora que tive tempo de aprecia-lo, naum tenhu nem palavras...
uoul!

otimo!

ah, tem um insignia honorifica do Palácio Lilás esperando por vc lah noo blog, é soh pegar!

é só pros especiais!hihihihi!

beijoo! boa semana!

mirito disse...

hduashdiuhsaida
cooll...

num sei pq, mais fui lendo e pensanu noçê na hora, man..
XD
dshdiushaudhida
mto massa..

abraço..
XD

P.S.: tah add nu avoritos aki nu comp..
XD

shinkoba disse...

Que foda esse texto Jr.! Uma história assim só podia sair da sua mente perversa... :D
Muito triste ou alegre, nem sei... incesto por engano, em contrapartida o cara encontra a mãe... Muito bom!

DEUSA PAGÃ disse...

Olá! Tem postagem nova! abraços, Deusa Pagã!

Ali disse...

Uau,

gostei disso.
Bela história...mesmo que com um final trágico.

besos e bom final de semana!

Daniely disse...

Com sempre...uma surpresa em forma de texto, mais uma vez, parabéns!

Agne Harizza disse...

li quando me pediu ams esqueci de comentar.
é ótimo esse texto. cuide-se.

*K-rol* disse...

um selinho pra vc com uma tarefinha...
na verdade é uma campanha, seja adeptoo!

http://kalupacheco.blogspot.com/2009/03/campanha-saia-da-internet-e-va-ler-um.html

tah num post mais antiga do blog, pq quando postei naum deu tempo de passar pra vc!!

beijooo!

Victor Borba disse...

Gosto muito do estilo da sua escrita. E excelente repáginada para um velho complexo de Édipo.

Abraço.

Amanda disse...

Demorei pra passar aqui de novo mas agora que passei...fico besta cada vez que leio textos seus..louco ou lúcido? sei la!

Erica Cristiane disse...

Que medo...

rs

tem um meme pra vc lá no blog

divirta-se

=**

aninha disse...

incesto,sempre chocante\anna clara